Cidadania Italiana – Famiglia Lunetta – Brasil


Pessoal,

Como muitas pessoas já sabem eu estou indo para a Itália solicitar o reconhecimento da minha cidadania italiana e neste post vou contar um pouco sobre minha experiência.

Não tem como escreve um post sobre Cidadania Italiana sem mencionar o blog minha saga, este blog foi e é minha principal fonte de informação para buscar o tão sonhado passaporte europeu, além das informações passadas pelo Professor Fábio Barbiero participo de vários grupos no Facebook e o pessoal realmente se ajuda e divulga muita informação relevante ao processo de reconhecimento da cidadania Italiana, os principais grupos são Cidadania Italiana Área Livre,  Cidadania Sem CensuraCidadania Italiana Faça Você Mesmo.

No blog Minha Saga do Fabio Barbiero, ele disponibiliza o Sagabook, que é um material gratuito que explica passo a passo de como fazer o processo de solicitação da cidadania por descendência sanguínea, o material é divido em duas partes sendo a primeira parte Brasil e a segunda parte Itália, neste post vou falar sobre a parte Brasil, como eu consegui reunir todos os documentos e deixar tudo pronto para embarcar para a Itália, que é exatamente nesta fase que estou atualmente, pretendo escrever outro post sobre a parte na Itália.

Tudo começou em Malta durante nosso intercâmbio cultural, conhecemos algumas pessoas que têm dupla cidadania e através deles descobrimos alguns dos benefícios de ter a dupla cidadania! Como por exemplo trabalhar legalmente em todos os países da União Européia. Na época em que ficamos em Malta o objetivo era apenas aprender Inglês e trabalhar remotamente em nossa Agência de Viagens aqui no Brasil, mas ficamos muito curiosos sobre esse assunto, começamos a coletar informações valiosas com alguns amigos de Malta e eles nos contaram suas histórias de como conseguiram o reconhecimento da dupla cidadania. Uma amiga era filha de um Espanhol, outra tinha uma avó Italiana e assim conhecemos várias histórias bem legais.

Chegando ao Brasil eu fui diretamente conversar com a minha avó Irene. Era um almoço de domingo e estávamos comendo uma bela macarronada da nonna, minha avó foi até o seu quarto e trouxe uma caixa cheia de documentos antigos, eu fiquei maravilhado em ver aqueles documentos que fazem parte da minha história. Dentro da caixa tinha a certidão de casamento e a certidão de óbito originais do meu bisavô, com esses documentos em mãos eu consegui informações valiosas, a primeira foi a cidade e a data de nascimento dele e a segunda foi o nome dos cartórios que fizeram a emissão dos documentos, foi neste mesmo momento que enviei uma carta registrada para a comune de Palermo solicitando a certidão de nascimento (que é um documento muito importante e precisa ser original), alguns meses depois chegou em casa a certidão original do meu bisavô.  A primeira vitória!!! Fiquei muito animado!!! Dica: O texto escrito em italiano que utilizei foi o exemplo que está disponível no Sagabook Brasil, aqui deixo um agradecimento especial ao Fabio Barbiero.

Enquanto esperava a resposta do comune, fiz a CNN – Certidão Negativa de Naturalização do meu bisavô seguindo o Sagabook e então começou as minhas visitas a vários cartórios de São Paulo, você precisa descobrir em qual cartório o documento foi gerado para solicitar uma segunda via em inteiro teor, mas o que é esse tal de inteiro teor? Nada mais é do que tudo que foi registrado no cartório sobre a certidão, incluindo averbações e alterações. Após conseguir todos os documentos, chegou a hora da legalização do MRE – Ministério das Relações Exteriores, para isso fui ao ERESP – Escritório de Representação em São Paulo com a minhas pasta de documentos para que fossem carimbados, este processo era feito gratuitamente pelo ERESP, (com a convenção de Haia esta etapa não é mais necessária) a próxima etapa era fazer a tradução para o Italiano. Para esse serviço contratei um tradutor não juramentado,  existem dois tipos de traduções, a SIMPLES que é uma tradução feita por qualquer pessoa que tenha o domínio da língua e a JURAMENTADA que é feita por um profissional vinculado a JUCESP – Junta Comercial do Estado de São Paulo e este profissional tem fé pública, visto que na época o Consulado Italiano não exigia que a tradução fosse juramentada para legalizar os documentos, acabei fazendo a tradução simples por ser mais barata, perfeito! Com os documentos em mãos e suas devidas traduções, chegou o momento de fazer o agendamento no Consulado Italiano de São Paulo e finalmente legalizar os documentos,  finalizar o processo parte Brasil. Fácil! Simples! NÃO, NEM UM POUCO! Foi neste momento que pensei em desistir, pois fiquei dois meses tentando fazer o agendamento no site Prenota Online e acabei descobrindo que existia a “Máfia do Agendamento”, pessoas que conseguiam fazer o agendamento e cobravam até R$ 2.000,00, só para conseguir um horário no consulado!!! Existia uma suspeita de que algumas pessoas do próprio consulado que tinham um acesso privilegiado ao sistema conseguiam criar o agendamento para quem comprou o lugar na fila, algo perfeitamente possível, porém, neste meio tempo foi anunciado que o Brasil iria entrar na Convenção de Haia, muitas pessoas nos grupos ficaram alvoroçadas com informações e suposições de como seria este novo processo, por exemplo, que poderia ficaria pior e mais caro o processo, que outra máfia do agendamento ira ser criada em outra parte do processo, bla bla bla. Enfim, como eu não iria pagar para a máfia eu resolvi aguardar a entrada do tal Convenção de Haia, foi então que comecei a seguir no Facebook e em seu blog a Renata Bueno que é a primeira deputada Ítalo-brasileira eleita pela Circunscrição América Meridional e com sua influência ajudou a implantar o Convenção de Haia no Brasil.

Ok! Legal! Mas o que mudou com a entrada do Brasil no Convenção de Haia? Na prática agilizou o processo de reconhecimento da cidadania Italiana, desburocratizando e informatizando o registro de documentos, claro que existem outros benefícios, mas que não vem ao caso para este post. Primeira coisa que eu percebi, foi que perdi dinheiro! kkkk A tradução tinha que ser Juramentada! E eu já tinha uma tradução simples, perguntei para a pessoa que tinha feita a tradução, se existia a possibilidade de juramentar a minha tradução simples, mas é claro que a pessoa que fez a tradução não era um tradutor juramentado, então procurei um tradutor que fosse vinculado ao JUCESP, foi então que conheci a Doutora  Marcia Regina Bazanelli, ela fez um trabalho incrível, recomendo! Apesar de ter esquecido de assinar um documento!!! kkkk Mas isso foi um detalhe que corrigimos sem nenhum problema, obrigado Doutora Marcia pela agilidade e profissionalismo.

Agora sim, tudo pronto para fazer o tal apostilamento em algum cartório de São Paulo, mas qual cartório já estava fazendo o apostilamento? E quanto tempo iria demorar? Eles já tinham recebido o papel moeda que é utilizado no processo? Dúvidas! Muitas dúvidas! Com a ajuda do pessoal dos grupos no Facebook liguei para alguns cartórios para ter certeza que eles estavam fazendo esse serviço e encontrei um cartório na Vila Mariana, que fica próximo da minha casa e já estava pronto para iniciar o apostilamento. Falei com o responsável pelo telefone e senti firmeza, então corri para lá com a pasta de documentos que tinha a minha vida toda lá dentro, literalmente kkk, fiquei um tanto quanto receoso de deixar os documentos de um dia para outro em um cartório, mas tudo bem! No dia seguinte eles me ligaram falando que já estava tudo pronto! No total foram 20 documentos apostilados, cheguei no cartório, peguei a minha pasta, conferi documento por documento. Em casa peguei o meu celular, instalei um leitor de QRCode e acessei todos os documentos que são disponibilizados no site do CNJ – Conselho Nacional de Justiça e comparei com os documentos na minha mão, nenhum erro!!! Ufa!!! Tudo certo!!! Foi então que caiu a ficha!!! Estou pronto para ir para a Itália!!! Neste ponto quero dar a melhor dica de todas que é a seguinte: Antes de comprar sua passagem para Itália, consulte a TBViagens, nós te daremos todo o suporte e o mais importante sabemos a sua necessidade, como por exemplo existe uma questão de como chegar na Itália que impacta no processo de reconhecimento da sua cidadania, se você fizer escala em outro pais da união europeia, você terá que ir a uma delegacia de polícia para registrar a sua entrada na Itália, se o seu voo chegar diretamente na Itália o carimbo no seu passaporte será o suficiente para comprovar o tempo que você está na Itália, é uma questão que envolve tempo e dinheiro, nós sabemos que o requerente está em busca de um sonho e por isso, queremos lhe ajudar a conquistar o seu objetivo.

Tive muita sorte! Nenhum documento precisou ser retificado! Todos os documentos estavam registrados na cidade de São Paulo, o Convenção de Haia chegou na hora certa! Quando é para ser o universo conspira a favor!

Como você percebeu, eu fiz a parte do Brasil sem pagar um profissional que fosse atrás dos documentos para mim, já na parte do processo que será feito na Itália vou contratar uma empresa que presta este tipo de serviço, no meu próximo post vou detalhar os motivos porque escolhi pagar uma assessoria.

Se você leu até aqui!! obrigado! Eu só peço que se você tiver alguma pergunta, comentário ou queira contar a sua história, deixe aqui em baixo.

 

 

 

 

Deixe seu comentário!

Você precisa logarpara comentar.